Depreciação de casas pré-fabricadas

O conceito de casa pré-fabricada não é um termo criado pela indústria de construção como acontece com termos como ‘casa modular’, ‘casa fabricada’,’ casa por painéis’, ou ‘casa construída no local’. No uso de hoje, o termo casa pré-fabricada está mais relacionada ao estilo de uma casa, ao invés de o método específico de construção dessa mesma casa.

Antigamente este tipo de casas construídas em fábrica desenvolveram um estereótipo negativo por causa do seu baixo custo e a tendência para a depreciação rápida do seu valor, em comparação com as casas de construção tradicional. A tendência da rápida depreciação destas casas, no valor de revenda, fazia com que a garantia dos empréstimos se tornasse mais arriscado do que empréstimos para habitações tradicionais. Os termos do empréstimo eram geralmente limitados a menos do que o típico prazo de 30 anos e as taxas de juros eram consideravelmente maiores.

Importa contudo saber quais as principais razões para esta depreciação e como encontrar formas de contorna-la ou até valorizar este tipo de construções, que hoje em dia se começam a tornar tão populares.

 

 

Depreciação

A depreciação é um termo que descreve a diminuição do valor de um ativo, sendo que o ativo neste caso é definido como um recurso económico. Na contabilidade, a depreciação é um processo em que um ativo tem seu valor deduzido através de vários períodos de tempo da sua vida útil, de forma a refletir o seu uso continuado durante a sua finalidade.

Portanto, todos os ativos tangíveis sofrem desta depreciação e as casas pré-fabricadas não são uma excepção a esta regra. Também este tipo de construção sofre desvalorização com o passar o tempo.

Fontes de depreciação

Quatro fontes principais de depreciação são o desgaste, obsolescência, esgotamento e validade. No caso das casas pré-fabricadas estão não são suscetíveis a qualquer esgotamento ou validade, uma vez que tais ativos não são recursos naturais esgotáveis​​, nem disposições legais. Por outro lado, a obsolescência pode desvalorizar casas pré-fabricadas, mas tem pouca importância quando em comparação ao uso e desgaste, que é um termo usado para descrever as pequenas deficiências que vão surgindo em termos de eficácia e eficiência ao longo do tempo e que se acumulam, acabando por o tornar inútil no final da sua vida útil. Exemplos de uso e desgaste incluem material amolgado, pintura lascada e ferrugem sobre os componentes de metal que envolvem a casa, exterior ou interiormente.

Apesar de grandes progressos terem sido feitos em termos de qualidade, as casas pré- fabricadas ainda se deparam com alguns problemas de construção que preocupam os compradores. O código de construção que rege estas habitações precisa de ser actualizado em alguns pontos, uma vez que o controle de qualidade em instalações de produção é muitas vezes negligenciado e problemas de configuração muitas vezes comprometem até mesmo uma casa bem fabricada. Estas pequenas deficiências acabam por se traduzir irremediavelmente numa desvalorização da casa pré-fabricada, face aos problemas que podem surgir e redução de durabilidade.

3 comentários

  1. Darlei Andre Gravina

Deixe a sua opinião