Técnicas de construção de casas industriais

Conheça aqui as diferentes técnicas de construção das casas industriais. Você terá acesso ao histórico dessa nova forma de engenharia, bem como dicas essenciais, que você não pode perder de vista na hora de fazer a sua construção.

As casas industriais, conforme revela o nome, são tão recentes quanto as indústrias. No entanto, as técnicas empregadas são muito, muito antigas.

Escavações arqueológicas feitas na região do Japão e China revelaram casas de madeira construídas a partir de um perfeito sistema, cuja estrutura era mantida a partir de encaixes exatos entre as vigas de madeira.

No século XIX, arqueólogos ingleses encontraram no Egito desenhos que representavam as pessoas responsáveis pelas construções, no tempo dos faraós.

Normalmente, essas pessoas eram muito veneradas, tal a importância das obras feitas no Egito Antigo, que até hoje conhecemos.

Bem, esses dois exemplos servem para ilustrar a origem das casas industriais. Ou seja: as técnicas de construção das casas industriais nada mais são do que uma modernização (em equipamentos e materiais) das técnicas antigas.

Vamos agora entender que técnicas são essas.

1. Criação de uma fundação simples

Como são pequenas construções, as casas industriais não exigem uma fundação muito grande. Ou seja: não é necessário ficar escavando o terreno, retirando quilos e quilos de terra.

Basta fazer uma fundação simples, que possibilite colocar uma sapata de cimento, que dará sustentação às paredes.

Com as paredes em pé, basta apenas fazer a estrutura do telhado, normalmente em madeira.

Por último, as esquadrias. A dica é usar aquelas que são produzidas em alumínio, pelo visual moderno e pela facilidade de instalação.

 

2. Uso inteligente da mão de obra

As técnicas de construção de uma casa industrial são muito práticas e exigem pouca mão de obra, desde que os pedreiros sejam bem orientados.

Isso acontece porque não há necessidade de tarefas como: fazer massa para cimento, criar paredes no método tijolo por tijolo, etc.

Como os materiais já saem de fábrica quase prontos, a maior parte do trabalho se concentra na montagem deles, e não na construção em si.

 

3. Aplicação de materiais simples

As casas industriais não utilizam materiais que causam problemas, como tijolos de vidro, piso de cerâmica, esquadrias delicadas de madeira ou portas de correr feitas de metal.

A premissa dos materiais usados nesse tipo de construção foca sempre em: “fácil de achar, fácil de instalar”.

Isso significa que a praticidade vence sempre o requinte. Por um lado você perde em estilo, mas por outro ganha em economia.

O segredo é guardar o dinheiro economizado nessa etapa para investir na decoração interior, que oferecerá o ar aconchegante, confortável e personalizado que você espera.

 

4. Agilidade na etapa do acabamento

Por último, as casas industriais utilizam técnicas de construção que evitam dar mais atenção do que o necessário à etapa de acabamento.

Ou seja: duas mãos de tinta e nada mais. Apenas o essencial para garantir uma estética aceitável. O resto fica por conta do proprietário.

No entanto, o que parece uma desvantagem é na verdade uma vantagem, porque assim você fica livre para fazer o acabamento do jeito que quiser: algumas pessoas preferem colocar pastilhas na fachada, outras já gostam de uma pintura texturizada.

 

Descubra seu estilo e aproveite o melhor das técnicas de construção das casas industriais!

Deixe a sua opinião