Evite as armadilhas das chamadas “casas ecológicas”

A popularidade e interesse pelas chamadas “casas ecológicas” tem vindo a crescer de dia para dia. No entanto, como acontece com qualquer outro tipo de negócio, também no mundo das casas modulares começam a aparecer os oportunistas, que tentam aproveitar-se da enorme procura para vender casas de fraca qualidade e que pouco ou nada correspondem às expectativas dos compradores.

Uma prática que começa, infelizmente, a ser cada vez mais utilizada por parte de fabricantes sem escrúpulos é a venda de casas que dizem ser totalmente ecológicas, quando na verdade não o são.  Este tipo de fornecedores aproveitam-se da boa fé dos compradores, menos bem informados acerca das diferentes etapas de construção, para promover as suas casas que na realidade de ecológicas têm muito pouco.

Mas não entre já em pânico, porque nem todos são assim. Felizmente para nós ainda existem fabricantes honestos e que constroem produtos de qualidade. O fundamental é que se mantenha bem informado para não cair neste tipo de armadilhas desonestas.

Segue-se uma lista de algumas das “armadilhas” mais frequentes.

 

Elevada eficiência energética

Todos nós sabemos que as casas modulares são muitas vezes mais eficientes a nível energético que as casas construídas pelos métodos de construção mais “tradicionais”. Isto deve-se em grande parte ao próprio isolamento da casa. As casas modulares têm a vantagem de ter um estudo do local onde será montada, o que fará com que o seu isolamento seja apropriado para a temperatura local, evitando assim o desperdício de energia.

E é aqui que surge a grande armadilha levada a cabo por alguns fornecedores. Este isolamento é muito dispendioso e por isso, muitos fabricantes tentam utilizar a menor quantidade possível. Desta forma, algumas casas modulares acabam por tornar-se ainda menos eficientes em termos de energia que as casas tradicionais. O aconselhável é que no momento em que está a pedir um projeto para a sua casa modular, exija que o fabricante lhe entregue por escrito o nível energético da casa e o que é feito em termos de isolamento. Este pequeno pormenor irá evitar muitos dissabores futuros.

Menos desperdício e resíduos

Está mais do que provado que a construção de casas modulares resulta num menor desperdício de materiais e de resíduos, quando em comparação com as casas convencionais. Isto deve-se ao facto das casas modulares serem construídas com planos bem definidos previamente e do material ser encomendado à medida destes mesmos planos. Por outro lado, o pormenor dos módulos fabricados serem montados em fábrica e apenas transportados para o seu local de montagem definitiva posteriormente também leva a uma melhor gestão dos resíduos.  Evita-se assim que o lixo seja acumulado no local da montagem, como acontece no caso das casas tradicionais.

Mas novamente, fabricantes oportunistas tentam tirar proveito deste pormenor. Como as casas modulares precisam de ser transportadas, muitas vezes, para locais distantes têm de ser bastante robustas, de forma a evitar que se danifiquem neste mesmo transporte. Isso significa que precisam de ser construídas com mais materiais resistentes, o que nem sempre acontece. Assim, o material que se poupa com o menor desperdício fica equilibrado com o material extra necessário para o transporte. Certifique-se que o fabricante tem este pormenor em consideração.

Menor impacto ambiental

Como a construção modular é feita fora do local de montagem há também menos danos ao meio ambiente. Mas atenção, porque mesmo assim existe sempre impacto, apenas é menor e não nulo. Para a construção da casa modular continuam a ser necessários diversos trabalhadores, camiões de transporte, gruas e outros veículos poluentes.

3 comentários

  1. ricardo

Deixe a sua opinião