Venda de Casas Pré-fabricadas vs Venda de carros personalizados

É evidente que, mesmo as casas mais chiques pré-fabricadas modernistas são basicamente projectos ‘pré-cortados’. Mas Arieff Dwell’s compara a experiência à compra de um carro, como um Mini Cooper, que é produzido em massa, mas personalizável em certo grau.
A Dwell Home mais pequena em produção mede1.000 pés quadrados e, a maior 4.000. Os compradores podem optar por adicionar ou retirar uma varanda, porão, ou garagem, entre outros detalhes.

Apesar de dados do Instituto de casas pré-fabricadas mostrarem que a venda de casas pré-fabricadas, em geral (definidas como casas unifamiliares, construídas em fábrica) estão em baixa – representando apenas 9,8% das habitações unifamiliares novas nos E.U. em 2004, comparado a 14,8% em 2002 – o mercado das pré-fabricadas modernistas parece estar a experimentar vendas rápidas.

DEMANDA SURPREENDENTE POR CASAS PRÉ-FABRICADAS

Dwell não está sozinho. Rocio Romero, um arquitecto baseado em Perryville, Missouri, que tem projectado casas pré-fabricadas modernas, desde 2002, vende as suas casas loft-like e cube-shaped, em dois tamanhos, ao preço de 30,000€ e 40,000€.
Sem nenhuma associação directa a uma marca maior – e mesmo antes da revista The New Yorker, Romero vendeu 10 casas pré-fabricadas em 2004, isto no primeiro ano em que ficaram disponíveis. No ano seguinte as vendas dobraram.
Geoffrey Warner da Alchemy Architects, o designer de St. Paul (Minnesota), não planeou a venda de casas pré-fabricadas, mas o seu protótipo Wee House, concebido como uma cabine de US $ 50.000 para um único cliente, encontrou uma procura surpreendente.

EENTRADA DA IKEA NO MERCADO DAS CASAS PRÉ-FABRICADAS

Warner pensou que poderia responder aos pedidos de uma forma custo e tempo eficiente, arranjando um modelo pré-fabricado.
Na Europa, o fascínio com as casas pré-fabricadas também tem crescido. A primeira casa pré-fabricada BoKlok, produzida através de uma parceria entre a fabricante de mobiliário modular Ikea e a Skanska, foi construída na Suécia em 1997. Mais de 2.000 unidades já venderam até à data. A Ikea já anunciou o lançamento de empreendimentos BoKlok na Grã-Bretanha.
Turkel Empyrean acredita que Ikea – cujas vendas mundiais totalizaram US $ 15,5 bilhões em 2004 – ajudou a construir o mercado das casas pré-fabricadas. Afinal de contas, casas feitas a partir de um kit, têm a mesma qualidade modular e design aerodinâmico (quasi-do-it-yourself) que uma estante ou cadeira Ikea, embora numa escala maior. A Ikea também mostrou que os produtos de baixo custo não têm que ter aparência de barato.

A tendência moderna das casas pré-fabricadas desafia os preconceitos populares de que as casas pré-fabricadas são de má qualidade e têm falta de estilo. Mas, como refere Arieff Dwell, componentes produzidos em massa, controlados em fábrica, permitem “uma menor margem de erro em comparação com vigas de madeira marteladas à mão.”
Além disso, detalhes do projecto (como o aço, vidro polido, e bambu do design FLATPAK da Lazor Office) podem ser incluídos dentro de um orçamento relativamente modesto, se o custo total dos elementos estruturais da casa, como os pré-concebidos, produzidos em massa, nomeadamente a estrutura, forem mantidos baixos.
As casas pré-fabricadas foram há muito associadas a um design ruim, pois estiveram nas mãos do governo e outras instituições como forma de arranjar abrigos rápidos e baratos, e como resultado, o projecto foi desclassificado. Hoje em dia verifica-se o oposto.

10 comentários

  1. Sueli
  2. antonio gomes
  3. ldb
  4. antonio melo
  5. mongy

Deixe a sua opinião