As casas pré-fabricadas tornam-se fabulosas

Boklok – Vivência Moderna para pequenos agregados

A IKEA, empresa Sueca de design inovador, está agora a fazer ‘casas pré-fabricadas’ para empreendimentos de grande porte na Europa. São construídas numa fábrica, de qualidade controlada, entregues e montadas num único dia. O conceito de habitação BoKlok (pronunciado Boo Clook), uma parceria entre a propriedade da empresa Smart Live @ Home e o mobiliário gigante sueco IKEA, oferecerá às famílias do Reino Unido uma elegante opção de habitação, eficiente e acessível. O primeiro projecto no Reino Unido é em Gateshead.
IKEA BoKlok – foi pioneira na Escandinávia com a gigante mobiliária Ikea e a empresa de construção civil Skanska – proporcionando, casas funcionais economizadoras de espaço, oferecendo boa qualidade a um preço que permite que várias classes sociais possam comprar uma casa confortável. Os apartamentos BoKlok têm um layout flexível de plano aberto, tectos altos e janelas amplas, que dão um estilo de luz, arejado e contemporâneo aos apartamentos. A Ikea e a Skanska começaram o estilo de construção pré-fabricada BoKlok, em meados da década de 1990 para atender à necessidade de imóveis a preços acessíveis na Suécia, e proporcionar propriedades de alta qualidade a um preço baixo.

Nova era da casa pré-fabricada

Dependendo da sua idade, a palavra pré-fabricada tende a conjurar uma de duas imagens – ambas monótonas.

Pré-fabulosas: As casas pré-fabricadas modernas assumem a liderança da arquitectura moderna, com linhas arrojadas e designs coloridos.
A geração mais velha vio legiões de casas pré-fabricadas construídas após a Segunda Guerra Mundial – apreciando-as na sua infância, mas ridicularizando-as quando as casas continuaram a abrigar milhares de pessoas, passados tantos anos.

Enquanto isso, a geração mais jovem sente calafrios ao pensar em, salas de aula móveis – geladas no inverno e como um forno gigante no verão.
Essas memórias conseguiram render-se ao conceito que as casas pré-fabricadas já não são o que eram.

Se mencionar a palavra pré-fabricada a um arquitecto, os seus olhos iluminam-se com visões de luxo e edifícios modernos.
Uma nova exposição em Londres, tem como objectivo convencer o público de que as casas pré-fabricadas são realmente fabulosas.

Prefabulous Londres mostra projectos como o pioneiro Peabody Trust, desenvolvimento Hackney Murray Grove e o premiado projecto Baron’s Place que têm fornecido habitações acessíveis e populares. A evolução está muito longe das casas pré-fabricadas pós-guerra e a maioria adopta vidro, aço e madeira na sua construção e estilo.
Mas o exterior atraente não é apenas para vista, é projectado para ser durável, fácil e rápido de construir, e esconde um interior onde as melhores mentes arquitectónicas trabalharam para maximizar o espaço.
A pré-fabricação e os métodos modernos de construção mudaram-se para uma nova fase, a indústria desenvolve-se a uma velocidade superior.
Os benefícios oferecidos pela alta qualidade de casas construídas numa fábrica são de particular importância para os Londrinos, onde há uma demanda crescente por casas boas e acessíveis.
Mas não é só no que respeita ao capital, que a evolução das pré-fabricadas pode fornecer casas populares de boa qualidade a preços acessíveis. O espaço é um prémio, em cidades do Reino Unido e, as autoridades estão famintas por novas ideias.

Graças a arquitectos conscientes do estilo, as casas pré-fabricadas, hoje provam que você pode combinar custo baixo e alto design – e que vendem muito bem.
Mas uma nova geração elegante de habitações modernistas, pré-fabricadas, sugerem uma alternativa custo/eficácia e elegante. Dwell, a revista de abrigos da moda de San Francisco, lidera o caminho. A revista lançou uma nova linha de casas pré-fabricadas, “Dwell Homes”, que tem a marca da publicação.
Um vencedor arejado. “O custo é um factor muito relevante, torna estas casas pré-fabricadas oportunas”, disse Allison Arieff, Dwell, editor e autor do livro Prefab.
A ideia de Dwell Homes surgiu quando a revista convidou uma selecção internacional de arquitectos inovadores para desenhar casas aerodinâmicas que pudessem ser construídas a partir de materiais baratos, pré-fabricados. Em 2004, a Dwell construiu o desenho vencedor, uma casa arejada, com linhas arrojadas, projectada por a firma de Nova York Resolução: 4 Arquitectura, dirigida pelos sócios Joseph Tanney e Robert Luntz.

“Quando compareceram 2.500 visitantes para visitarem a casa – muito mais do que esperávamos – percebemos que há um interesse viável “

, diz Arieff, acrescentando que recebeu 5.000 a 10.000 e-mails pedindo conselhos sobre como adquirir uma casa pré-fabricada modernista.

Aço e bambu. Os compradores de habitações Dwell têm três plantas de assoalhados por onde escolher, criadas pelas empresas respeitadas Resolução: 4 Arquitectura, Lazor Office, e Empyrean International (anteriormente Deck House). Esta última é também a produtora e parceira de licenciamento de todos os projectos. Cada opção ecoa a geometria limpa dos edifícios clássicos de Frank Lloyd Wright e Buckminster Fuller, dois dos fundadores da arquitectura modernista – e ambos defensores iniciais de habitações pré-fabricadas.
A oferta da Resolução: 4 Arquitectura é uma versão do projecto que ganhou a competição Dwell de 2003. A planta em forma de L inclui um grande espaço de estar / jantar envolto em vidro no primeiro andar, e um terraço de nível superior ao telhado, com uma lareira exterior.
O design Lazor Office iniciou-se com a busca do próprio arquitecto Charlie Lazor, para encontrar uma casa barata, moderna para a sua família. Uma variedade de materiais, que vão desde o aço ao bambu e vidro fosco, acrescentam um sentido de complexidade de textura a uma estrutura que de outra maneira seria simples e rectangular. O nome da casa e o estilo modular, FLATPAK, têm muito em comum com o mobiliário faça-você-mesmo projectado pelo hip-home furnishings rótulo Blu Dot, uma empresa da qual Lazor é co-fundador.

BRING YOUR OWN LAND. Empyrean casa, apelidada de NextHouse, projectada pelo arquitecto Joel Turkel, concentra-se num espaço tipo core, com um trecho de parede e janela que se estende por ambos os níveis da casa, de maneira que alguém no primeiro andar, pode ver o segundo. Apesar da abertura do plano, os espaços privados estão escondidos nos lados opostos da sala central. O quarto principal inclui um terraço de telhado.
Os compradores já devem possuir o terreno para a instalação da casa, e estar cientes de que o custo da propriedade não está incluído no preço da mesma. Também não estão incluídos os custos do trabalho local, que podem variar muito de mercado para mercado.
Empyrean, que tem uma história de 57 anos de fabricação de casas, contracta um gerente de projecto para servir de intermediário entre o comprador e o arquitecto, assim como a equipe de construção local.

4 comentários

  1. cristiano armindo
  2. rute
  3. Washington
  4. Joaquim Nogueira

Deixe a sua opinião