Casas econômicas no Uruguay

O Uruguai se especializou na construção de casas econômicas. Ficou curioso por quê? Confira aqui e descubra a seguir como o país conseguiu driblar vários problemas, desenvolvendo os mais aprimorados e copiados modelos de casas econômicas.

 

casa-prefab-uruguay

 

Na década de 70 começa no Uruguai um regime repressivo, com o apoio das forças armadas do país.

Apenas na década de 80 os uruguaios conseguem derrubar os militares, em um plebiscito (votação) pela aprovação de uma nova constituição, que daria maior abertura para a democracia.

No entanto, todos esses problemas internos contribuíram para um desequilíbrio na economia do país, que enfrentou uma grave crise na década de 90.

Para controlar a situação, o presidente decide cortar gastos públicos, aumentar impostos e criar um novo formato para os planos de aposentadoria.

A economia do Uruguai consegue crescer então, entre 1997 e 1998. No entanto, a crise econômica de países vizinhos (Argentina e Brasil) afeta o Uruguai, que termina o século XX com uma queda no Produto Interno Bruto (PIB).

Ufa! Até parece uma aula de História. Mas por que estamos explicando tudo isso a você? Simples: entendendo o contexto da economia do país conseguiremos entender os porquês das casas uruguaias serem tão econômicas.

É muito fácil de compreender: imagine que você mora em um país com economia instável e altas taxas de impostos.

Morar de aluguel é uma alternativa cara. O que fazer?

Com esse desafio em mãos, os uruguaios decidiram enfrentar a crise econômica com criatividade.

A partir de muito estudo e parcerias entre arquitetos, engenheiros e universidades, os uruguaios desenvolveram sistemas inovadores de construção, acessíveis a todos os cidadãos e – o melhor de tudo – com rápida montagem.

Quais são então os diferenciais das casas econômicas do Uruguai? Confira a seguir:

 

1. Fazer a construção a partir dos materiais mais baratos da época

Como os impostos oscilavam muito, os uruguaios aprenderam a ficar de olho nos preços para fazer a compra no momento em que os produtos estivessem mais baratos.

Hoje, essa regra ainda vale. Isso significa que é sempre útil acompanhar o mercado dos produtos de construção, porque você consegue economizar bastante.

 

2. Reduzir ao máximo a mão de obra

Ao contratar menos pessoas, mas com maior experiência, é possível economizar muitos dias de trabalho e – assim – dinheiro.

E não se trata apenas de investir em pedreiros experientes. Os uruguaios perceberam que engenheiros e arquitetos com mais tempo de carreira conseguem solucionar os projetos com mais precisão, ajudando a diminuir o tempo de uma obra.

 

3. Construir espaços menores, mas com possibilidade de expansão no futuro

Sua primeira casa não precisa ser uma mansão. Parece óbvio, mas muitas pessoas inexperientes se deixam levar pelo sonho da casa própria e acabam escolhendo um projeto maior do que conseguem pagar.

As casas econômicas do Uruguai normalmente são pequenas, mas construídas de uma maneira planejada para receber novos espaços, sem afetar a estrutura ou a beleza do que já está pronto.

 

4. Escolher um acabamento simples

Acabamentos custam até 30% de uma obra. Pensando nisso, os construtores decidiram investir menos nessa etapa, valorizando acabamentos simples.

Ou seja: se a casa econômica for de madeira, nada de pintura na parte externa. As tábuas ficam expostas, acentuando o estilo rústico.

 

Soluções inteligentes, não acha? Hora de colocá-las em prática, na sua obra!

Um comentário

Deixe a sua opinião